Imanência propõe combater o racismo na escola por meio da arte e da valorização do fenótipo negro

Uma das etapas do projeto consiste em uma Imersão para educadores e na seleção de candidatos a para atuarem como mediadores culturais. As inscrições são gratuitas e estão abertas até o início de março

O racismo é uma das maiores causas dos problemas dos alunos negros. Consciente dessa realidade, a escola pode intervir para eliminar o racismo institucional. Apostando nessa possibilidade, o projeto Imanência fará uso de processos co-criativos para sensibilizar a respeito da temática étnico-racial e contribuir para combater o racismo no ambiente escolar. Recentemente lançada, essa iniciativa envolverá educadores da Grande Vitória os quais serão convidados a produzirem reflexões que irão integrar uma exposição interativa prevista para ser aberta ao público em meados do próximo mês de abril.

Uma resposta ao racismo presente no cotidiano escolar, o Imanência quer ser um instrumento para colocar em prática a Lei nº 10.639/2013 por meio da qualificação e da sensibilização educadores e tendo como ponto de partida problematizar sobre a importância do cabelo crespo para expressão e afirmação cultural negra. Trata-se de uma proposta inovadora que fará uso de processos co-criativos como forma de levantar reflexões úteis ao enfrentamento do racismo e à valorização do fenótipo negro na formação da cultura brasileira.

O Imanência é resultado da parceria entre outros dois projetos: o Raiz Forte e o Macunaímãs, e todas as suas ações serão realizadas no Raiz Forte Espaço de Criação, que fica situado na Escadaria do Rosário, no Centro de Vitória. Esta iniciativa conta com recursos do Fundo Estadual de Cultura do Espírito Santo por meio de projeto contemplado pelo Edital nº 002/2016 – Valorização da Diversidade Cultural.

Etapas do projeto

Em sua primeira etapa, o projeto realizará a Imersão Imanência para turmas de educadores que, juntos, irão por a mão na massa para desenvolver conteúdos visuais e multimídias diversos e serão estimulados a pensarem como mediar os efeitos psicossociais do racismo a partir de suas próprias realidades cotidianas. Os resultados dessa vivência poderão ser conferidos na Exposição Imanência, mostra interativa aberta ao público em geral e que constituirá a segunda etapa do projeto.

Na Imersão serão abordados os conceitos de identidade, subjetividade, branquitude e os educadores serão convidados a desenvolverem uma consciência que reconheça e valorize o fenótipo negro como formador do povo brasileiro. Os encontros da Imersão Imanência acontecerão nos dias 16 e 23 de março, das 8 às 12h (Turma 1), e no dia 18 de março, das 8 até às 18h (Turma 2).  As inscrições para essa atividade são gratuitas e podem ser feitas até o próximo dia 04 de março AQUI.

O Projeto Imanência também selecionará  voluntários para fazerem parte da equipe de arte-educacão atuando como mediadores culturais durante a etapa expositiva. A escolha será feita com base nas informações da Ficha de Inscrição e em uma entrevista presencial prevista para acontecer no dia 04 de março. Podem se inscrever pessoas que tenham interesse na promoção da educação para as relações étnico-raciais e que tenham formação nas áreas de artes e educação. As inscrições  também são gratuitas e estão abertas até o próximo dia 01 de março.

Exposição Imanência

Com abertura prevista para meados do próximo mês de abril, a Exposição Imanência contará com conteúdos desenvolvidos pelos participantes da Imersão. Dividida em ambientes distintos, essa proposta expositiva irá reconstruir as experiências dos educadores vivenciadas durante a Imersão e terá como público prioritário as escolas onde esses profissionais atuam.

Fazendo uso de recursos multimídia, a Exposição Imanência buscará aproximar os processos artísticos do cotidiano escolar e das pessoas em geral. Apresentando-se como uma obra aberta, esse trabalho será vivo e dinâmico, pois os visitantes poderão contribuir com a construção de novos conteúdos à medida que forem percorrendo e interagindo com seus espaços e instalações.

Com as visitações, espera-se sensibilizar demais membros da comunidade escolar a repensarem saberes e percepções sobre a temática étnico-racial e sobre o racismo e, dessa forma,  colaborar para tornar a escola um espaço mais democrático e menos segregador.

Raiz Forte + Macunaímas

A parceria entre o Macunaímãs e o Raiz Forte se deu em 2016, no Museu Capixaba do Negro, ocasião em que essas duas iniciativas promoveram a capacitação de 26 arte-educadores da Grande Vitória. Dessa experiência e inspirada na pluralidade étnico-racial brasileira, foi desenvolvida a coleção de imãs para geladeira: “Macunaímãs Raiz” que é composta por quatro kits de personagens com adereços e formas que possibilitam inventar cabelos e penteados, além de ser uma alternativa para a falta de produtos dessa natureza no universo dos brinquedos.

Criado em 2012, o Projeto Raiz Forte teve como foco a valorização do universo negro feminino por meio dos cabelos e buscou expor como as mulheres negras sofrem, ainda nos dias de hoje, para “adequarem” a padrões estéticos eurocêntricos. Fez isso por meio de fotografias, vídeos e textos aqui neste site. Atualmente, essa iniciativa conta uma sede denominada “Raiz Forte Espaço de Criação” onde agrega propostas e iniciativas artístico-culturais diversas que dialoguem com as discussões sobre africanismo, negritude e feminismo, funcionando como um pequeno centro cultural destinado a exposições, intercâmbio de artistas, venda de produtos educativos, ensaios e escritório.

Criado em 2011, o Macunaímãs é uma marca de ímãs de geladeira ilustrados que expressa a diversidade cultural e étnica brasileira em suas coleções de personagens. Desenvolvido pela designer Juliana Lisboa, o projeto busca  transformar em brinquedo representações de pessoas e suas diferentes formas de beleza. O resultado são kits de ímãs formado por personagens e diversas peças – roupas e adereços – que podem ser posicionados de inúmeras maneiras conforme a criatividade de cada um. Essa marca já retratou temas como a valorização da mulher, nudismo, diversidade de gênero, cultura negra urbana, cicloativismo, entre outros.

 

SERVIÇO:  inscrições Projeto Imanência

Imersão do Imanência:

Quando: Turma 01 – 16 e 23 de março, das 8 às 12h / Turma 02 – 18 de março, das 8 às 17h

Inscrições gratuitas até o próximo dia 04 de março AQUI.

– Equipe de Mediadores Culturais da Exposição Imanência

Quando: 18 de abril a 18 de maio / turnos matutino e vespertino

Inscrições gratuitas até o próximo dia 01 de março AQUI (entrevista presencial prevista para 0 dia 04 de março).

 

VAGAS LIMITADAS!

LOCAL: Raiz Forte Espaço de Criação – Escadaria do Rosário – Centro – Vitória

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *